Paraganglioma gangliocítico da ampola de Vater: Caso clínico

  • Isabel Mesquita Interna Complementar Cirurgia Geral 3º ano
  • José Maria de la Peña Assistente Hospitalar
  • Jaime Vilaça Assistente Hospitalar
  • José Davide Assistente Hospitalar Graduado
  • Jorge Daniel Assistente Hospitalar Graduado
  • Luís Graça Assistente Hospitalar Graduado
  • Manuel Teixeira Director de Serviço

Resumo

O Paraganglioma gangliocítico (PG) é um tumor raro, que tem sido reportado de forma crescente desde que foi descrito pela primeira vez em 1962.

Localiza-se frequentemente na segunda porção do duodeno, em particular na Ampola de Vater e apresenta como manifestação clínica mais comum, a hemorragia gastrointestinal.

Histológicamente apresenta três tipos celulares, que variam na proporção entre si: epitelióides, fusiformes e ganglionares.

O PG é considerado uma neoplasia benigna, embora estejam descritos casos de metastização linfática regional.

A ampulectomia transduodenal surge como opção terapêutica para tumores ampulares benignos, já que entre outras vantagens pode ser efectuada com baixa taxa de morbilidade e de recidiva.

Um seguimento prolongado destes doentes é aconselhado.

Palavras-chave: Paraganglioma gangliocítico, Ampola de Vater, Ampulectomia transduodenal 

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.
Publicado
2007-09-29
Como Citar
MESQUITA, Isabel et al. Paraganglioma gangliocítico da ampola de Vater: Caso clínico. Revista Portuguesa de Cirurgia, [S.l.], n. 2, p. 37-42, sep. 2007. ISSN 2183-1165. Disponível em: <https://revista.spcir.com/index.php/spcir/article/view/289>. Acesso em: 08 feb. 2023.
Secção
Caso Clínico