Esplenectomia parcial em contexto de trauma abdominal

  • Clara Sampaio Centro Hospitalar Lisboa Central
  • João Aniceto Centro Hospitalar de Lisboa Central
  • Luis Moniz Centro Hospitalar de Lisboa Central
  • Francisco Oliveira Martins Centro Hospitalar de Lisboa Central

Resumo

O baço é o órgão intra-abdominal mais frequentemente afetado em contexto de trauma fechado1. O diagnóstico clínico de traumatismo esplénico pode ser difícil, uma vez que 40% dos doentes podem não apresentar qualquer sinal ou sintoma na avaliação inicial. No presente artigo são apresentados dois casos de duas doentes do sexo feminino, 32 e 39 anos de idade, com lesão esplénica grau IV no contexto de traumatismo abdominal contuso cuja opção terapêutica foi a esplenectomia parcial.

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.

Biografias Autor

Clara Sampaio, Centro Hospitalar Lisboa Central

Internato Complementar de Cirurgia Geral

Centro Hospitalar Lisboa Central

João Aniceto, Centro Hospitalar de Lisboa Central

Interno da Especialidade de Cirurgia Geral

 

Luis Moniz, Centro Hospitalar de Lisboa Central

Assistente Hospitalar Graduado de Cirurgia Geral

Serviço de Cirurgia Geral, Centro Hospitalar de Lisboa Central

Francisco Oliveira Martins, Centro Hospitalar de Lisboa Central

Assistente Graduado Sénior de Cirurgia Geral

Serviço de Cirurgia Geral, Centro Hospitalar de Lisboa Central

Referências

1. Olthof DC, van der Vlies CH, Joosse P, et al. PYTHIA Collaboration Group: Consensus strategies for the nonoperative management of patients with blunt splenic injury: A Delphi study. J Trauma Acute Care Surg 2013, 74:1567–1574.

2. Rosati C, Ata A, Siskin G, Megna D, Bonville D, Stain S. Management of splenic trauma: a single institution´s 8-year experience. The American Journal of Surgery 2015, 209: 308-314.

3. Demetriades D, Scalea TM, Degiannis E, et al: Blunt splenic trauma: Splenectomy increases early infectious complications: A prospective multicenter study. J Trauma Acute Care Surg 2012, 72:229–234.

4. Moore FA, Davis JW, Moore EE, Jr, et al: Western Trauma Association (WTA) critical decisions in trauma: Management of adult blunt splenic trauma. J Trauma 2008, 65:1007–1011.

5. Esperança Pina SA, Territórios arteriais esplénicos. Universidade Nova de Lisboa 1979.
Publicado
2017-12-31
Como Citar
SAMPAIO, Clara et al. Esplenectomia parcial em contexto de trauma abdominal. Revista Portuguesa de Cirurgia, [S.l.], n. 43, p. 33 - 37, dez. 2017. ISSN 2183-1165. Disponível em: <https://revista.spcir.com/index.php/spcir/article/view/608>. Acesso em: 21 set. 2018.
Secção
Caso Clínico