FATORES DE PROGNÓSTICO DA METASTASECTOMIA HEPÁTICA NO CANCRO COLORRETAL

Resumo

INTRODUÇÃO 


Em doentes selecionados com cancro colo-rectal metastático (CCRM), a resseção das metástases hepáticas poderá oferecer a possibilidade de cura. 


OBJETIVOS 


Avaliar possíveis fatores de prognóstico pré-operatórios de sobrevivência dos doentes com CCRM submetidos a metastasectomia hepática, com vista a selecionar o doente ideal para este procedimento. 


MÉTODOS 


Análise retrospetiva de 121 doentes com CCRM seguidos no nosso centro, submetidos a metastasectomia hepática com intuito curativo e querealizaram quimioterapia primária, entre Março de 2004 e Junho de 2017. A análise de sobrevivência foi estimada pelo método de Kaplan-Meier e a análise multivariada pela regressão de Cox. 


RESULTADOS 


A idade mediana ao diagnóstico foi 58 anos (19-79) e a maioria dos doentes (61%) era do sexo masculino. O tempo mediano de follow-up foi 53 meses (10-143). A taxa de recidiva após a primeira metastasectomia foi 73.6%. A sobrevivência livre de doença (SLD) mediana após a primeira metastasectomia hepática foi 13 meses (IC 95% 10.3-15.6). A sobrevivência global (SG) mediana foi 63 meses (IC 95% 48.6-77.4). Os fatores pré-operatórios que conferiram pior prognóstico na análise para a SG e para a SLD foram: a presença de ≥3 lesões hepáticas metastáticas (SG mediana: 101 meses, IC 95% 57.4-144.6 vs 51 meses, IC 95% 42.0-59.9, p=0.010; SLD mediana: 18 meses, IC 95% 0.0-36.9 vs 10 meses, IC 95% 7.2-12.8, p=0.013), a metastização extra-hepática (SG mediana: 71 meses, IC 95% 58.4-83.6 vs 37 meses, IC 95% 22.6-51.4, p=0.001; SLD mediana: 15 meses, IC 95% 12.2-17.8 vs 7 meses, IC 95% 4.3-9.7, p=0.002), pT4 (SG mediana: 65 meses, IC 95% 50.2-79.8 vs 34 meses, IC 95% 25.4-42.6, p=0.008; SLD mediana: 14 meses, IC 95% 10.9-17.1 vs 5 meses, IC 95% 2.9-7.1, p=0.011) e a soma das lesões metastáticas ≥60 mm (SG mediana: 80 meses, IC 95% 63.7-96.3 vs 51 meses, IC 95% 42.8-59.2, p=0.020; SLD mediana: 16 meses, IC 95% 11.9-20.1 vs 10 meses, IC 95% 7.4-12.6, p=0.020). Os fatores que mantiveram impacto negativo na análise multivariada para a SG e SLD foram o pT4 (SG: p=0.020, HR 1.98, IC 95% 1.1-3.5; SLD: p=0.007, HR 2.11, IC 95% 1.2-3.6) e a metastização extra-hepática (SG: p=0.011, HR 2.05, IC 95% 1.2-3.6; SLD: p=0.024, HR 1.85, IC 95% 1.1-3.2). 


CONCLUSÕES 


A presença de ≥3 lesões hepáticas metastáticas, metastização extra-hepática, pT4 e a soma das lesões metastáticas ≥60 mm conferiram impacto negativo na SG e na SLD. A avaliação destes fatores poderá ajudar na seleção dos candidatos a ressecção hepática. 

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.
Publicado
2021-01-20
Como Citar
COSTA, Inês Nogueira et al. FATORES DE PROGNÓSTICO DA METASTASECTOMIA HEPÁTICA NO CANCRO COLORRETAL. Revista Portuguesa de Cirurgia, [S.l.], n. 49, p. 103-104, jan. 2021. ISSN 2183-1165. Disponível em: <https://revista.spcir.com/index.php/spcir/article/view/871>. Acesso em: 03 mar. 2021. doi: https://doi.org/10.34635/rpc.871.